De acordo com as estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), mais de 600 mil novos casos de câncer foram registrados no Brasil só em 2018, esse é um número assustador.

O que me instiga é o fato de que, conforme já alertou o próprio Inca, vidas poderiam ter sido poupadas se, por exemplo, o nosso atual padrão alimentar fosse diferente, privilegiando os alimentos em sua forma natural ao invés de idolatrar e consumir demasiadamente os alimentos industrializados e refinados.

Os brasileiros consomem, em média, apenas um terço da quantidade de legumes, frutas e verduras indicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Esses são os alimentos contra o câncer, que ajudam a combatê-lo, sendo os verdadeiros agentes secretos que impedem o crescimento das células cancerígenas, como as brássicas ou crucíferas.

As crucíferas são vegetais ricos em nutrientes e contêm um grupo de substância conhecida como glucosinolato, responsável por seu aroma e sabor amargo. Exemplos dos alimentos ricos em glucosinolato são:

  • couve-flor;
  • brócolis;
  • nabo;
  • couve de Bruxelas;
  • repolhos;

Quando estes alimentos são mastigados ou simplesmente picados, após a ação de uma enzima chamada mirosinase, o glicosinolato se transforma em outras substâncias: indol-3-carbinol, sulforano e isotiocianatos.

Indol-3-carbinol é um composto bioativo que tem inúmeros benefícios: tem ação antioxidante e antiaterogênica (impede que a gordura e as células inflamatórias se fixem nas paredes arteriais) e ainda desacelera o crescimento das células cancerígenas. Isso é possível, pois ele é capaz de bloquear a formação de vasos sanguíneos dos tumores, diminuindo a sua vida útil.

Um estudo realizado pelo Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Universidade do Estado da Louisiana, nos Estados Unidos, observou por 12 semanas mulheres com câncer de colo de útero em estágio inicial. Parte dessas mulheres receberam uma pílula de placebo, já a outra parte, 200 mg de indol-3-carbinol. Como resultado foi observado que metade das mulheres que tomaram o composto de indol-3-carbinol obtiveram regressão total do tumor.

Além disso, o indol-3-carbinol também é muito importante para as mulheres, pois ele regula a quantidade de estrogênio, o “hormônio feminino”, mantendo-o em níveis normais.

Brócolis é um dos alimentos contra o câncer, ele é rico em indol-3-carbinol, uma substância que regride as células cancerígenas e ainda essencial para a saúde da mulher.

O sulforano, também muito presente nos alimentos contra o câncer, que ajudam a combatê-lo, elimina as substâncias químicas das células que são responsáveis por mutações cancerígenas. Desta forma, auxilia na prevenção do câncer, reduz o número de células-tronco tumorais (consideradas as mais difíceis de serem erradicadas) e induz a morte das células cancerígenas, potencializando a ação das enzimas que promovem detoxificação do organismo.

Os resultados positivos do sulforano também foram encontrados em pesquisas sobre o câncer de próstata. Um estudo publicado na revista científica Journal of the National Cancer Institute, analisou 628 homens, com idades entre 40 a 64 anos. De acordo com os indicativos, os homens que consumiam pelo menos 3 porções desses vegetais crucíferos por semana tinham 41% a menos de chance de desenvolver câncer de próstata.

Esse é mais um motivo para você colocar os alimentos que ajudam a combater o câncer em seu cardápio.

São os isotiocianatos que regulam a “fase 1” do processo da eliminação de toxinas. Porém, eles também ativam a fase 2, em que são eliminadas as substâncias com potencial cancerígeno. Ou seja, ele verifica quem são os vilões e ainda expulsa-os do nosso corpo.

Não é necessário pensar muito em quantidade e/ou regularidade na hora de consumir esses alimentos contra o câncer, é necessário pensar apenas em consumir estes alimentos. Ou seja, como existe uma grande variedade deles, como brócolis, nabo, repolho e rabanete, pense em como distribuí-los durante a semana.

Um bom exemplo é incluir salada verde e crua no almoço e no jantar, assim como legumes e frutas ao longo do dia. Dessa maneira, será muito mais fácil obter o suporte dos compostos bioativos que auxiliam na prevenção e no tratamento do câncer.

É importante enfatizar que, quando você for cozinhar a couve-flor ou o brócolis, por exemplo, não deixe os vegetais por mais de dois minutos no vapor, porque a mirosinase pode ser destruída e, em consequência, o sulforano, o indol-3-carbinol e os isotiocianatos não serão produzidos. Além disso, é bom enfatizar também que o micro-ondas não é uma boa opção para preparar os alimentos, pois ele inativa todos os nutrientes dos alimentos.

Que tal começar hoje mesmo a incluir esses alimentos que ajudam a combater o câncer?

Dr. Lair Ribeiro

Médico cardiologista, mestre em cardiologia, nutrólogo, professor e coordenador do curso de pós-graduação lato sensu Adequação Nutricional e Manutenção da Homeostase – Prevenção e Tratamento de Doenças relacionadas à Idade, da Uningá. Também é autor de mais de 100 trabalhos científicos, publicados em revistas médicas americanas indexadas, e de 38 livros (15 best sellers e 26 traduzidos para outros idiomas), disponíveis em mais de 40 países. Morou 17 anos nos Estados Unidos, trabalhando na Harvard Medical School, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University, além de atuar como diretor-médico na Merck Sharp & Dohme e diretor-executivo, alcançando a vice-presidência, na Ciba Corporation, hoje Novartis.

Todas as informações contidas nesse site foram disponibilizadas com o objetivo de ampliar seu conhecimento sobre saúde e qualidade de vida. Nunca faça uso dos conceitos aqui publicados sem antes consultar um médico de sua confiança! Lembrando que o Dr. Lair Ribeiro não realiza nenhum tipo de atendimento, dedicando seu tempo integralmente aos estudos sobre Medicina.