No início da década de 1950, um novo paradigma na área de saúde foi estabelecido: gorduras saturadas e colesterol são prejudiciais por se rem as causas primárias das doenças cardiovasculares. Estudos clínicos e de meta análises, no entanto, têm mostrado o contrário. Na verdade, essas substâncias, obtidas em fontes alimentares ou endógenos, são essenciais para a performance fisiológica e para a boa saúde.
O conceito de que sua ingestão deve ser evitada é uma falácia, que tem gerado consequências irreparáveis para a saúde, o bem estar e, inclusive, a economia. Esta revisão apresenta e discute a teoria evolucionista lipídica, que possibilitou o desenvolvimento cognitivo e expansionista do ser humano.
Enfoca também os eventos históricos e tendenciosos que causaram a marginalização das gorduras saturadas e do colesterol, bem como apresenta opiniões científicas que se contrapõe a este mito e oferece m outro entendimento das verdadeiras causas das doenças cardiovasculares e associadas.

FAÇA O DOWNLOAD DO ARTIGO EM PDF