Levar nossos filhos a algum lugar que frequentamos – durante anos – por mais eloquente que possamos ser, não mostrará a importância que foi!

Quando uma mãe, no auge do seu nervosismo, grita para os filhos: ‘Você não sabe como era complicado quando eu era pequena’. Ou melhor, quando uma ‘mãe novata’, encontra dificuldades e alguém chega e fala: “Antigamente’ era muito mais difícil”. ‘Menosprezando’, o sofrimento atual da nova mãe. Na verdade, a visão que temos do nosso passado é tão mentirosa, quanto um romance onde o ‘felizes para sempre’ aparece ao final do filme – como se o futuro fosse somente flores.

O que não nos damos conta é que o que vivemos era para nós vivermos, não eles. E, isso pode parecer grosseiro, mas não é. O que é importante é a vivência e tesouros que levamos daquele lugar ou experiência dentro de nós. E, que trazemos até os dias de hoje. Isso sim, deve ser mostrado – e se foi tão importante aparecerá a cada dia nos nossos atos. Para os filhos não importa onde ou como foi.  Aliás, o mais lindo da vida, é saber que cada um tem sua história. E, isso deve ser respeitado. Cada um vivenciará o que é necessário e importante para si. As perguntas seriam:  “O que essas vivências que foram importantes para mim, e que formaram valores essenciais para ser quem eu sou, podem ser plantados nos meus filhos, respeitando a história dele”.

Aliás, o bonito da vida é saber que a nossa essência ‘aparecerá’ em outras histórias e tempos através de filhos, netos. Por isso lhe pergunto, qual a ‘essência’ que você está passando para seus filhos? Uma história onde você foi vítima ou vencedor? Traumas seus que os seus filhos não devem carregar, mas que você impõe como se fosse um julgo neles? O seu passado ‘aparecerá’ na vida deles como um ‘freio de mão puxado’ de um carro, onde não poderão acelerar tranquilamente? Que direito tenho eu de pegar o que não foi legal e passar a diante como se fosse um ‘troféu do coitado’? Você passou o que você tinha que passar. Isso não é culpa do seu filho. Aliás, muitas vezes na dor, não mostre a sua fragilidade. Às vezes é mais elegante fingir que não está doendo.  O que passamos para nossos filhos e pessoas ao redor são essências. Mostre uma essência forte, marcante, cheirosa e única. Ensine e dê a seus filhos o ‘elixir’ dessa sua essência para eles fazerem uma tão marcante e linda. Mostre com orgulho, que talvez a ‘volta ao passado’, por mais feio e sem cor que seja, traz dentro de nós um colorido que nunca se apagará e como uma chama única, acenderá milhares ao nosso redor.

Enfim, mostrar o local onde crescemos para nossos filhos é bom, mas o mais importante e lindo é mostrar as riquezas que esse mesmo lugar trouxe para dentro de nós.

Nurya Ribeiro

 

 

 

About the author :

Leave A Comment

Related posts