As revistas gritam ‘como não envelhecer’, técnicas e mais técnicas, produtos doidos e caros, tudo para tentar esconder o inevitável: que o tempo passou!

Claro que devemos ter respeito com o corpo. Aliás, é o – coitado – que mais maltratamos. Fazemos loucuras com ele – o desrespeitamos – mas ele se ‘vinga’. Uma dor aqui outra ali… ‘Colocamos’ cargas, pesos, bagagens na pobre carcaça que nos leva e ele se vinga novamente. Olha a dor nos ombros… Comemos como se não houvesse amanhã…Daí, o corpo nos deforma. Enquanto isso o tempo está passando. Nos concentramos no corpo, já que ele dá sinais o tempo todo que estamos levando-o a um stress sem fim. Mas não tem jeito, enquanto nos preocupamos com os ‘sinais do tempo’ nos olhos, na pele, no corpo; ele – o tempo – nos dá um presente, uma liberdade sem fim: a maturidade.

Ah, o tempo nos dá um olhar perspicaz da vida. Em outras palavras, ele nos ensina a sermos seletivos!
Ele sabe que não se pode perde-lo com quem não merece estar em nossa vida. Ele nos ensina a pontuar! Ele nos mostra que não adianta ‘falar’ com quem não chegou no mesmo nível de maturidade que a gente.
Ele nos ensina a respirar e contar até dez. E, nos ensina a – também – usar o ‘pqp’ entre outras palavras similares.

Ele nos ensina que a culpa é totalmente maleável e que o lixo é o seu melhor lugar. Ele joga teorias bobas no ralo do banheiro. O tempo é definitivamente o melhor amigo do sexo, e que ser prático é uma delícia. Aliás, a praticidade também é a melhor amiga do tempo. A maturidade adquirida pelo tempo adora o conforto sadio e dispensa o luxo sem fundamento. O tempo ensina que a exposição é totalmente imatura e vazia. Ele mostra o desmoronar de sonhos feitos em areia. Ele, o tempo, nos ensina a esperar. Ele nos joga na cara anos de indisciplina, mas nos presenteia com a disciplina.

Aqueles que viraram ‘companheiros’ da maturidade, e com ela mantém uma relação de amizade e respeito, conseguem mergulhar no mais profundo mar da verdade que há dentro de nós, cheios de presentes e libertações. Tá vendo, o tempo pode ser o seu mais novo e melhor amigo… Aprecie com moderação!!!

Nurya Ribeiro

About the author :

Leave A Comment

Related posts